SENSIBILIZAÇÃO, PREVENÇÃO, PROMOÇÃO, BOMBAS DE INSULINA, PÂNCREAS ARTIFICIAIS, MEDIDORES CONTÍNUOS DE GLICOSE

Hoje foi dia de sensibilizar os grupos parlamentares para a problemática da Diabetes.

Fomos apresentar alguns dos problemas atuais que temos identificado através do feedback que os membros da Associação Diab(r)etes nos fazem chegar, e ainda falar da legislação relativa às bombas de insulina.

Os programas eleitorais estão a ser preparados e ao contrário de outros anos, gostaríamos de encontrar nos seus textos mais do que simples palavras vagas.

Fomos recebidos pelos grupos parlamentares, sendo que apenas um não acedeu ao nosso pedido.

Tendo em conta que hoje foram discutidos os dois Projetos de Resolução relativos ao alargamento do acesso às bombas de insulina a maiores de 18 anos, este foi um dos assuntos debatido com todos. Agradecemos aos grupos parlamentares que proposeram os projetos de resolução, o facto de estarem atentos a este assunto, assim como aos outros que haviam sido referidos nas reuniões realizadas no início de dezembro.

Referimos que achámos estranho apenas ser pedido o alargamento sendo que a legislação que actualmente permite o acesso a crianças até 18 anos cessa em 2019, o que ficou registado pelos grupos parlamentares pois efectivamente assim é, mas como obviamente se pode concluir, de modo a manter a igualdade, será elaborada legislação que manterá esta atribuição.

Deste modo, referimos que o que procuramos com a Iniciativa Legislativa que temos a decorrer é que ao ser elaborada esta legislação já estejam contempladas as pessoas com diabetes com mais de 18 anos. Queremos bombas de insulina para todos e não apenas para maiores de 18 anos.

Referimos ainda que Portugal continua a andar um passo atrás da Europa pois o pâncreas artificial começa a ser uma realidade na Europa, e em Portugal ainda discutimos bombas de insulina para adultos.

Em relação a este assunto referimos que consideramos ser fundamental o papel dos grupos parlamentares em perceberem a mais valia que um sistema assim é para as pessoas com diabetes tipo 1, e que assim sendo implementem medidas que levem que a curto prazo comece a ser implementado em Portugal. Não queremos que as mais valias para a saúde estejam dependentes de petições, iniciativas legislativas de cidadãos, abaixo-assinados,…

Outros assuntos abordados foram ainda:

– promoção da saúde: alimentação saudável, actividade física, rótulos nutricionais,…;

– educação para a saúde:colocar a diabetes no Projeto de Educação para a Saúde das escolas, …;

– papel dos cuidadores;

– formação em diabetes para cuidadores, deve ser dada atenção às pessoas idosas com diabetes, nomeadamente insulino tratadas, residentes em lares;

– crianças com diabetes nas escolas: necessidade de ter enfermeiros que auxiliem no tratamento da diabetes, em especial a administração de insulina;

– aumento dos profissionais de saúde com conhecimento na colocação de bombas de insulina;

– Aumento do número de centros de colocação de bombas;

– maior facilidade em permitir a entrada de novas tecnologias e medicamentos para a diabetes tipo 1 em Portugal.

Foi enorme a abertura de todos os grupos parlamentares para estes assuntos, pelo que esperamos vê-los nos programas eleitorais.

Mas mais importante do que as palavras serão as acções, QUE NÃO ESTEJAM NOS PROGRAMAS ELEITORAIS, MAS QUE SEJAM TOMADAS MEDIDAS!